quinta-feira, janeiro 30, 2003


Meu peso em minhas costas...
o peso da cidade em minhas costas...
o peso da sua idade em minhas costas...


Sinto o peso do tempo e das brincadeiras....
Sinto os bolsos vazios e os olhos marejados...


Agora, a noite e as ironicas gargalhadas de hienas...
Agora, o choro e a compania de quem se importa...

Agora, não sou mais um peso.
Nem para mim, nem para você...
Agora, apenas o peso da cidade em minhas costas...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial